viernes, 29 de octubre de 2010

Rent a car: Portugal implementa o pedágio em suas rodovias

A cobrança de portagens em três auto-estradas no norte de Portugal, que entrou em vigor no dia 15, gerou protestos dos utentes, dos transportadores e empregadores do sector do turismo luso, que se sentem afetados pela medida.

A Associação de Volta a Portugal, disse em declarações à Agência Efe que isso poderia ter "um impacto extremamente negativo sobre os fluxos de turismo, pois eles podem levar turistas a optar por outros destinos para os quais o acesso com mais facilidade, conforto e sem custos adicionais."



Um veículo passa por um arco de "pedágio" da auto-estrada entre Viana e Porto. / / Arcos Jesus

Fronteira com a Galiza, a conversão da rodovia Litoral Norte, Grande Porto e Costa da Prata sobre os métodos de pagamento também será "prejudicial para toda a indústria do turismo em Portugal", e que cerca de 80 por cento dos visitantes vêm para o país de carro, a agência afirmou.

Esta medida também foi discutida no Parlamento luso debate quinzenal, onde a oposição tem criticado o governo socialista, que resolveu instalar essas portagens no seu plano para reduzir o elevado déficit público do país.

Além disso, a sua introdução vai levar a veículos matriculados no estrangeiro para se deslocar para um pagamento eletrônico, que deve ser carregado com um mínimo de 50 euros para particulares e € 100 para o transporte, já que não há possibilidade de pagar em dinheiro ou cartão de crédito.

Um problema já identificado foi a dificuldade em encontrar os aparelhos, que devem estar disponíveis nas lojas e estações de serviço, e os pilotos espanhóis reclamaram sobre a falta de informação sobre o pagamento.

Nesta situação, o cargo de Portugal, uma das entidades autorizadas a comercializar os chips, decidiu instalar temporariamente um quiosque para estrangeiros em uma estação de serviço na cidade de Viana do Castelo, junto à Galiza.

O sector dos transportes Português também criticou as portagens, alegando que beneficiam as empresas estrangeiras, dada a dificuldade de conseguir as multas para outros países, dando simultaneamente um aumento significativo nos custos.

Por seu lado, o Governo mais uma vez para defender o início da recuperação destas vias e aprovado na quinta-feira uma decisão do Gabinete de declarar isto como "de extrema urgência para o interesse público".

Assim, o Tribunal anulou a decisão do Banco Central Administrativo do Norte suspender temporariamente a entrada em vigor da regra.

Segundo os planos Executivo do primeiro-ministro, José Sócrates, a auto-estrada do Norte vai participar do SCUT outros quatro (abreviação de "sem custos para o utilizador" em Português) no país.

Interior Norte, Beira Litoral e Alta, Beira Interior e do Algarve vai pagar a partir de 15 de abril de 2011, o que também afetará o povo da Galiza, Castilla y León, Extremadura e Andaluzia vivem e trabalham em áreas de fronteira.

No hay comentarios:

Publicar un comentario